terça-feira, 9 de outubro de 2007

Top 5 do Jornal da Globo

Na edição da noite passada (08/10) do Jornal da Globo, foi divulgado o resultado da enquête do noticioso, questionando qual a melhor capa de álbum brasileiro da história. Como sempre, fizeram oba-oba durante o programa inteiro, para dedicar alguns segundos para a matéria “segura IBOPE” que alavanca a audiência para o Programa do Jô.

O resultado foi apresentado em duas partes. De cara, da terceira à quinta colocações.

No posto 5, Barulhinho Bom, de Marisa Monte, seguido de Cabeça Dinossauro, com seu esboço de Da Vinci, dos Titãs, e do antológico álbum de estréia dos Secos e Molhados, de 1973.

Até aí, vá lá! Gosto é gosto, não se discute - apenas se critica. A crítica a ser feita é a sentida ausência de Tropicália ou Panis et Cicensis na relação. Não por tudo o que a obra representa na música brasileira, rompendo a barreira do regionalismo ortodoxo e abrindo as cortinas para a música pop - o que nunca é demais frisar. Mas pela capa em si mesmo, idéia dessas que dá vontade de ter tido.

Vamos agora à patacoada. Pesquisas pela internet, assim com as que colocaram o Cristo nas Maravilhas e elegeu Maradona melhor que Pelé na eleição da FIFA, jamais serão confiáveis.


Uma pesquisa em que os encartes de Arroz e feijão, de Daniela Mercury, e (pois é!) Anacrônico, da Pitty, conquistam a primeira e a segunda colocação respectivamente, não dá para se levar à sério.

Os olhos de qualquer pessoa, comparando as outras concorrentes e suas propostas, buscando inclusive as não citadas nesse post, vêem isso.

O cd da rainha do axé-music tem uma foto realmente linda na capa, e o da roqueira, um desenho bem legal. Mas mobilizações de seus fãs em comunidades do Orkut e correntes na rede corromperam a já descriteriosa especulação.

Pelo menos houve um mínimo de dignidade dos diretores do jornal ao apresentar em separado esse resultado, evidenciando o modo em que se definiu a disputa.

Resumo da ópera: Ignorem as duas primeiras colocações.


3 comentários:

Fernando Hound disse...

Po mano esse tipo de desenho tosko da capa da Pitty tem em N capas de albúns, realmente o da tropicália ter sido deixado de lado é uma lástima.
Não se pode levar a sério pesquisas feitas pela interneta assim, já q qualquer um q não tem mto o q fazer passaria a tarde clicando numa opçao pra fazer seu artista preferido vencer.
Eu não sou dos maiores conhecedores de capas do mundo, mas das poucas que eu conheço elegeria o álbum Quebra Cabeças e o álbum Nádegas a declarar do Gabriel, o Pensador como dois belos exemplos das mais bem boladas.
O álbum Cesta Básica do Raimundos também tem uma composição mto bem feita.
Enfim, procurando bem se encontrariam dezenas de capas melhores do que Pitty e Daniela Mercury, nada contra nenhuma das duas(porém nada a favor também), mas poderia ter sido melhor escolhido isso!

Marina Beltrame disse...

Gustavo Ferreira, jornalista articulado, porém incapaz o suficiente para compreender a arte do secretariado!
O texto é embasada por Informações de albúns ruins.
Aguardo mais de voê Gustavo Ferreira!! rs

Mas bastante coerente e eloqüente, congrats!

Mel disse...

adoro a capa do cd da marisa monte!
Depois que NXzero ganhou tudo no vmb, strike tb e cueio limão também, já conseguimos perceber qual o tamanho da força de fãs de internet